Produtividade no varejo é tema abordado em noite de conteúdo na Acomac-Campinas - VinhaSoft

Receba Novidades, promoções e muito mais.

X

Últimas Notícias

Produtividade no varejo é tema abordado em noite de conteúdo na Acomac-Campinas

Time Vinhasoft compareceu em peso ao evento na noite fria de quarta, 17

Mais uma noite de conteúdo foi promovida pela parceria Vinhasoft-Acomac. Sidnei Lasta abordou o tema Produtividade no varejo, em palestra realizada na noite dessa quarta-feira, 17.

A equipe Vinhasoft aproveitou a chance para agregar mais conhecimento às suas operações, interagir com o público e apoiar o colega de trabalho.

Parceria de sucesso e de consciência social: Vinhasoft e Acomac arrecadam leite para a Casa da Criança de Valinhos

101 litros de leites foram arrecadados na palestra do dia 17

Cientes de sua responsabilidade social, Vinhasoft e Acomac uniram forças não só para transmitir conhecimento, mas para ajudar ao próximo: a palestra angariou leite para a Casa da Criança de Valinhos, que abriga crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social, além de auxiliar famílias carentes e prover acolhimento temporário aos menores.

101 litros de leite foram arrecadados pelos participantes.

“Estamos felizes em poder contribuir com a sociedade e com um projeto tão lindo”, afirmou Nilda Kettlemberg, diretora da Acomac.

Processos, pessoas e tecnologia: produtividade no varejo em resumo

Sucinto e claro, o desenvolvedor de negócios Sidnei Lasta elucidou a produtividade no varejo aos presentes. “Vim desmistificar o conceito da transformação digital, que é muito confundida com a venda na internet, e não é isso. A transformação digital começa na produtividade”, afirmou.

O palestrante dividiu o assunto em tópicos: processos, pessoas, tecnologia e números.

“A cultura brasileira trata os processos daquela maneira, com o jeitinho”, introduziu Sidnei, afirmando que muitas consequências se derivam de processos que não são feitos da forma certa. Segundo ele, o principal problema do varejo brasileiro é não documentar, registrar um processo e, quando a pessoa vai embora da empresa ou se afasta (férias ou outro motivo, por exemplo), a operação não é feita ou é realizada incorretamente, e a rotina da companhia se torna um caos.

Sidnei rebateu essa postura e afirmou que os empresários precisam modificar o quanto antes essa questão. “Documente esse processo, pede para a pessoa que faz a atividade registrar e mantenha essa documentação”.

Assim, a operação será parametrizada e seguida por demais colaboradores, e a companhia não ficará à mercê de um só colaborador.

Gestão da operação e democratização da informação

Sidnei Lasta durante palestra no dia 17/07 na Acomac_Campinas

Nesse tocante, Sidnei ressaltou que a falta de organização e padronização dos processos afeta não só a execução das tarefas do funcionário, mas também a rotina do gestor e seu trabalho: “Como é feita a gestão de estoque na sua empresa? Vocês compram o que o fornecedor está oferecendo ou o que o mercado está procurando?”, provocou. “Tudo isso influencia no crescimento do seu negócio e da marca”.

Sidnei mostrou imagens de uma exibição de pisos na loja totalmente elaborada e, em contrapartida, a foto do estoque dessa demonstração: um depósito desorganizado, com caixas rasgadas, armazenadas a céu aberto e pisos quebrados. Em seguida, reclamações retiradas da plataforma “Reclame Aqui”, com duras críticas sobre entrega de pisos danificados foram mostradas.

A democratização da informação faz com que os protestos não fiquem restritos ao ambiente físico do estabelecimento, eles vão para a internet e danificam de maneira permanente a reputação do se negócio.

“Por isso, é importante uma gestão de operação concreta”, afirmou o desenvolvedor de negócios da Vinhasoft.

Como a tecnologia pode auxiliar na produtividade no varejo?

Ponto relevante e que sempre suscita curiosidade – e também desinformação – no público é a tecnologia como ferramenta de auxílio na gestão de processos e pessoas.

A tecnologia precisa ser aliada do gestor e de sua empresa. Como exemplo, Sidnei citou novamente a aquisição de mercadorias. Para que o gestor tenha um giro rápido de produtos e, consequentemente, um bom ticket médio, ele precisa entender quem é seu público-alvo, como e com o que ele gasta e qual a forma de encantá-lo.

“Um bom software consegue reunir todas essas informações para o gestor e analisar esse volume de dados”, ressaltou.

O palestrante também fez questão de desmentir o mito de que a tecnologia irá tirar pessoas da empresa. Segundo ele, o conceito de trabalho que existe hoje será modificado, mas os processos ainda precisarão do ser humano.

E as pessoas precisam ser geridas de forma estratégica para que a produtividade no varejo ocorra. Os gestores devem parar de gerenciar seus funcionários de forma retrógrada e pensar na gestão estratégica de pessoas, da contratação ao treinamento: admitir colaboradores que atendam aos requisitos necessários à sua companhia, com entrevistas qualificadas e treinamentos que repassem o propósito da empresa.

“O colaborador precisa entender quais são os valores do seu negócio e o que você busca, ele precisa ser engajado para contribuir positivamente com a empresa”, afirmou Sidnei. O treinamento deve ser elaborado de maneira que o novo funcionário não adquira vícios ou manias e já comece a exercer seu ofício de forma equivocada.

Indicadores finalizam a palestra e dão o tom ao debate

Sidnei finalizou a palestra ressaltando a importância dos números para alcançar os resultados da produtividade no varejo. “Não existe gestão do negócio sem números”, disse o palestrante, que pediu aos gestores que façam o acompanhamento de indicadores para poder averiguar se suas metas estão sendo conquistadas e traçar métricas para melhorias.

A declaração final do desenvolvedor de negócios deu tom ao debate iniciado após a palestra. Mediada pelo CEO da Vinhasoft, Alceu Moraes, a discussão teve a participação de Fábio Moscardini, vice-presidente da Anamaco (Associação Nacional dos Revendedores de Materiais de Construção) e administrador da Moscardini Construção, do empresário Ricardo Pertile Neto, da Cicalfer, e do executivo de vendas da Quartzolit, Marcus Vinícius Silvestri.

Marcus Vinicius, Sidnei Lasta, Fábio Moscardini, Alceu Moraes e Ricardo Pertile posam para foto ao fim do evento

Os gestores abordaram o cenário atual da economia brasileira, citando previsões e tecendo críticas ao comportamento de administradores que ainda esperam do governo ou, como dito por Ricardo Pertile, esperar “pelas coisas do pai”.

Segundo o gestor, é preciso mais atitude por parte dos varejistas e menos esperança de que as soluções virão de Brasília.

Fábio Moscardini, por sua vez, comentou que o setor do varejo de material de construção está lutando por benefícios e melhorias por intermédio da Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção). Em encontro recente do presidente da associação, Cláudio Conz, com o vice-presidente da República, General Hamílton Mourão, foram discutidas ações para crescimento da economia.

Contudo, os convidados concordaram que a agenda econômica do país é decepcionante e que o administrador precisa pôr “a mão na massa”.

Formação do gestor e importância da veracidade dos dados

Ainda foram discutidos a formação do gestor e, com certa ênfase, o acompanhamento de índices da empresa. A organização do negócio, para que o gestor não seja pego desprevenido nos momentos de crise, ou “de sunga curta”, como dito por Fábio, é o principal pilar para uma boa gestão. “Não é preciso acompanhar todos os indicadores, até porque é humanamente impossível, mas defina os principais índices para o seu negócio e acompanha-los”, completou o administrador da Moscardini.

Ricardo Pertile destacou também que, para que uma empresa cresça e traga bons resultados é preciso ter dados reais. “Existem diversos ERPs no mercado, muitos, que trazem esse tipo de informação. O do Alceu (Vinhasoft) é um desses, um ótimo software, que traz a informação detalhada, ou a bruta, é só você clicar e escolher”. Ele ainda complementou: “É preferível ter uma informação boa e ser um executor ruim do que ser um executor bom com informação ruim”.

Ao fim do encontro, os convidados ainda prolongaram-se conversando com o palestrante e participantes do debate. Alceu destacou a importância dessa troca de informação e networking: “Fica nítido que os dados são ferramentas importantes e necessárias para a gestão de qualquer negócio. Percebe-se que e Indústria e Varejo estão desconexos e, quando envolvemos o consumidor, este atrito se torna maior. Por isso, as empresas estão buscando cada vez mais entender os consumidores e integrar de forma automática estes setores através de uma plataforma única, que auxilie toda a cadeia de consumo, proporcionando a melhor experiência de gestão e consumo. A Vinhasoft já vem trilhando esse caminho com nossos novos produtos para o segmento de materiais de construção. Muitas indústrias, inclusive, têm nos procurado para conhecer e participar do nosso projeto, já que muitas lojas e redes de materiais de construção já estão participando”.

Raíssa Dias.  Analista de documentação da Vinhasoft Sistemas. Tecnologias da Informação e Comunicação (ICT), Redação e Revisão. Línguas. Atualmente desenvolvendo a base de conhecimento Vinhasoft e o projeto de documentação do nosso software.

Tags:

Deixar uma resposta